domingo, 21 de novembro de 2010

TEMPO E VIDA



Por Izaque Real

Somos seres marcados pelo tempo. A nossa existência se dá no tempo. O que existe no universo sofreu a influência do tempo. Enquanto seres terrenos dificilmente conseguiremos fugir dos laços do tempo.

O tempo está entrelaçado com a vida. Ele faz parte da trama da evolução humana e dos demais elementos viventes do nosso planeta. O tempo “juntou a vida à matéria e, depois, o pensamento à vida. Foi o tempo que teceu, dia após dia, a fantástica aventura da evolução...” (STEIGER, 1998, p. 205). Não é possível pensar o desenvolvimento da humanidade sem fazer referência ao tempo.

No tempo muitas coisas se constroem e se criam e outras se desfazem. A vida em si mesma, do nascer, crescer e morrer é submetida a ele. O tempo deixa seus vestígios na vida humana e no universo. Todavia, o ser humano, para não ficar a mercê do tempo, procurou marcá-lo de alguma forma. Temos presente na cultura humana, não por acaso, o calendário e o relógio, entre outros instrumentos que se tornaram uma forma de o ser humano dominar o tempo. Mas, o tempo apesar de estar marcado, ele não deixou de continuar o seu caminho, imprimindo em cada ser suas façanhas. Basta olharmos para o espelho e ao nosso redor. Quantas mudanças!

Dizia o filósofo Heráclito (séculos VI - V a.C): “Não se pode pisar duas vezes nos mesmos rios, pois as águas novas estão sempre fluindo sobre ti” (RUSSELL, 1969, p. 52). Na verdade, sob o jugo do tempo, nada volta a ser o que era antes. Um momento vivido já não volta mais. O tempo transforma a vida e esta é modificada por ele. Diante disso, o que fazer? Tem como desprender-nos do tempo?

Parece difícil escapar das garras do tempo. Entretanto, o ser humano com seu poder criativo procura com grande persistência algo que não esteja sujeito ao domínio do tempo. Nesse sentido é interessante pensarmos a questão da eternidade, pois não poucos mantem sua esperança nela. Visto que com a morte, a pessoa entra numa nova dimensão, no eterno, que não cabe a nós discursar neste momento. Com a ação do tempo estamos em mudança, porém o ser humano e a nossa consciência ocidental busca o imutável.

Contudo, é importante percebermos que o tempo nos conduz a pensar a nossa vida dando a ela um sentido. Um sentido que pode ultrapassar o tempo. Daí a necessidade de cada um lançar sobre o mundo em que vive a consciência de existir para algo, pois sabendo que o tempo de nossa vida é finito, torna-se um imperativo conduzi a nossa existência da melhor forma possível. Enfrentar os acontecimentos cotidianos com um novo olhar, mesmo quando estes são de sofrimento e dor. Buscar fazer da vida algo belo. Tornar a vida bela subjugada ao domínio do tempo é um desafio que exige a coragem de todos os seres humanos.

RUSSELL, Bertrand. Obras Filosóficas: História da Filosofia Ocidental I. Vol. 23. Trad. Breno Silveira. São Paulo, SP: Companhia Editora Nacional, 1969.

STEIGER, André. Compreender a história da vida: do átomo ao pensamento humano. Trad. Benôni Lemos. São Paulo, SP: Paulus, 1998.

2 comentários:

Painel X - New Writers disse...

Parabéns Izaque pelo texto!
Já estava com saudades dos seus escritos. Você tem o dom de nos levar à reflexões sobre assuntos do nosso cotidiano que nos passam despercebidos.
forte abraço,

Tiago

Rita disse...

Parabéns querido amigo Izaque, realmente precisamos viver da melhor maneira possivel. Aproveitar cada momento, e ter em mente que tudo passa. Não dá pra parar no tempo por termos perdido algo ou alguém, precisamos viver e viver bem, ser feliz. Ter em mente que o tempo passa, mas as lembranças dos bons momentos vividos continuam conosco. Abraço Em Cristo

Related Posts with Thumbnails